32 thoughts on “Vários…

  1. Mas que raio de placa amarela é aquela, com três dezenas? Puxa, essa foram buscar longe… E está em ótimo estado, a placa.
    Da esquerda para a direita: Ford Anglia, Modelo A, Austin Seven e…

    • Consumiu entorpecentes, meu caro César?? Ou trocaram a foto?? 🙂

      Tratam-se de dois Chevrolet 1937 Master Deluxe Town Sedan e dois Ford A 55A 1929 Tudor Sedan. São carros bem comuns no Uruguai, tanto é que deve ser a procedência dos 4 carros da foto.

      • Virgem Maria, então só acertei um!
        Mas não acredito na procedência uruguaia, pelo menos do portador da placa amarela.

  2. Eis que nosso confrade Rafael Souza (outro Rafael??!!) nos brinda com esse belo flagra do quarteto fantástico.

    Bem, não tão fantástico assim, talvez no passado, em priscas eras, mas agora parecem o quarteto fracassado…ou talvez quarteto fiasco. Estes sim, são nomes que designariam corretamente a dupla de gêmeos ali acima. Uma vez que se encontram esquecidos ao relento do tempo, nota-se que alguns já estão “pela morte”, outros, mais fortes e vigorosos. Cada dupla tem o elo fraco, o irmão moribundo. Da dupla Ford, ambos cegos, sendo um deles cruelmente depredado, quase morto. Da dupla Chevrolet, ambos estão firmes e fortes, porém um deles está desdentado, pois a grade lhe fora arrancada cruelmente.

    Num campo aberto, os quatro condenados gritam clamando por clemência. Duas duplas fraternais oriundas de Detroit, perdidas nesse lugar inóspito, num mundo desconhecido.

    O que será dos gêmeos? Serão destroçados pelo cruel destino, ou salvos por algum herói bondoso?

    Ford ou Chevrolet? Eis a questão.

  3. Museu Ulbrinha-Mail …
    a céu aberto of course !
    E o sistemático curador teve o cuidado de intercalar os modelos de modo a dar equilíbrio a essa quadra que está indo para o buraco …
    no jogo da vida tem que ter cacife pra continuar apostando …
    aposto que o ‘mantenedor’ ainda sonha em vê-los rodando … ou vendê-los a peso-áurico a um bom pagante aficcionado …
    Ps.: cuidadoso, emborcou a caixa d’água para que os mosquitos da dengue não procriem e lhes perturbe o bucólico sono .
    Ps.: lá atrás ??? quem seria o 5º elemento ?

  4. Belíssimo instantâneo. Estes dois Ford 29, pelo visto, ainda não sairam da Grande Depressão, mas ao menos escaparam, em sua fuga ao Brasil, das metralhadoras de Capone pelas ruas de Chicago.

    Porque alguém haveria de comprar dois modelos iguais, inicialmente os Ford’s e posteriormente os Chevrolet’s. Tenho um palpite, apenas um palpite. Foram carros de praça, os mais antigos foram substituídos pelos mais novos.

    Ao lado da caixa d’água, bem observada pelo Valuck, construiram uma churrasqueira improvisada de tijolos. Mataram os mosquitos da dengue com a fumaça e ainda assaram a carne numa boa.

  5. São Sebastião do Caí
    O cara restaura todos eles.
    Tem váaaaaaaaaaaaaaaarios na casa do lado.
    Tem outro depósito de uruguaios em Capela de Santana.
    Se quiserem tenho muitas fotos.
    Mando p o Russel!

  6. Para eles é fácil, pois estão perto da divisa do Brasil/Uruguay……se vc tenta trazer um carro desses para SP, e a Federal te pega, vc perde o carro e ainda responde processo por descaminho………..

    • É, el Diablo …
      na verdade o DESCAMINHO de verdade é o desses políticos FDP que pensam que fazer política é defender seus interesses particulares, fazer nepotismo empregando todos os seus parentes e apaniguados desviar verbas públicas de concorrências fraudulentas e vender o patrimônio público a troco de banana para os amigos .
      Além de permitir a exploração de riquezas do sub-solo a financiadores de campanha …
      JÁ TIVE VERGONHA DOS POLÍTICOS DO PAÍS …
      HOJE SINTO VERDADEIRO ASCO !!!

      • SÁBADO 5 DE MAIO
        Ato público pelo veto ao VERGONHOSO CÓDIGO FLORESTAL uma fraude que só visa beneficiar a quem pratica o irresponsável desmatamento e extrativismo no pais.
        Brasileiro que tem vergonha na cara e é patriota deve se manifestar contra mais essa INIQUIDADE !!!

  7. Os 2 azuis, são recuperáveis, quero ver da onde que vão tirar pessa pra esss carros antigos hehe

  8. O Chevrolet azul não é de procedência uruguaia, a placa amarela, como já foi dito, é brasileira. Pesquisei e encontrei a numeração da placas no RGS:
    “No RS, após 1943, os automóveis particulares receberam os números de 3-00-01 a 9-99-99, conforme e cidade. Os carros de praça e ônibus eram 10-00-01 a 19-99-99 e caminhões da carga 20-00-01 a 29-99-99. Pelos anos 50 vieram as numerações 30 e 50 para particulares e 40 para comerciais.”

    A minha dúvida ainda consite em saber se o Chevrolet azul era carro de praça ou particular. Ampliei a imagem no Photoshop, a dezena inicial aparenta ser 10 ou 18.

      • Daniel, eu não descarto o 30 como a primeira dezena. Os ônibus e caminhões da época tinham placas vermelhas. Os carros de praça, não sei. As fotos antigas são em preto e branco, difíceis de identificar a cor da placa.

    • Martim , tivemos um fusca 61 cujas placas eram 13 56 95 em São Paulo .
      Saberia informar os intervalos para cada estado ?
      abç.

    • Tenho lembrança de quando era criança as chapas dos taxis e caminhões eram vermelhas e particulares amarelas.

      Aqui vai uma explicação que achei:
      Até 1946-47 as placas eram pretas com números de cor metálica, em ordem crescente: 1, 2, 3 etc. A numeração baixa era muito desejada e, em geral, reservada a pessoas poderosas (generais, ministros, milionários). Cada placa era identificada por uma letra: P = particular, C = carga, T = transporte de passageiros. Naqueles anos adotou-se a placa amarela com algarismos pretos para automóveis, vermelha com números brancos para comerciais e branca para veículos oficiais. Havia algumas especiais para autoridades, diplomatas, veículos militares e por aí vai. De início, a numeração partiu do 1 (imagine a disputa que ocorreu!) mas quando atingiu o milhar os algarismos foram separados em pares (10-25, 29-32 etc) e em seguida em tres grupos (7-18-47 ou 30-03-67). Alguns estados usaram este último sistema desde o início (RS p. ex.) Pelos anos 60 a identificação em SP já chegava a 4 pares, com evidente dificuldade para atender as exigências do trânsito. Em 1971 vieram as placas alfanuméricas (AK2398) e, por volta de 90, surgiu o atual método

      Tenho a placa dianteira que pertenceu ao último carro do meu pai que usava essa numeração
      http://i1222.photobucket.com/albums/dd488/edbarioni/Chapa.jpg

  9. Muito bom esse registro dos Vovôs automóveis…. ….sempre soube que em São Sebastião do Caí têm vários antigos e tal , também já andei por Montenegro e não vi nada . Certamente é um trator embaixo da lona.

  10. Como esse carros antigos são mais resistentes que os mais novos, é impressionante…..Tenho um Del Rey parado a três anos, e a ferrugem come solta…esses 4 estão anos a fio no relento e só a pintura foi embora…
    Linda foto, e lindos clássicos, geralmente quando tem alguns antigos no relento, tem um monte em algum galpão coberto! Com certeza serão restaurados!

Os comentários estão fechados.