39 thoughts on “Chevrolet Impala

  1. Combinação de cores linda, rodas originais… Tá demais esse Impalão!

    A série do bigodinho que começou em 61, acho, é a mais clássica.

    É entulho dentro dele? –‘

    • viw corrigindo esse carro esta no Suldoeste do Paraná eu morava na rua dele conheço o dono dessa makina ele tem mais 1 landau que naum anda e naum porque esta quebrado naum é porke o tiozinho tem medo de anda e bate em alguem dai naum charia peças tenhu + fotos dessa makina no meu orkut quem quiser ver passa lah:::
      Thiagodias_ [email protected] e Thiago paulista 2 abraço ae galera

  2. Concordo com o Daniel Sanchez, é 1959, pois em ’60 começaram as “epopéias” de 3 lanternas redondas de cada lado! Muito inteiro este hein? mesmo que teja em débito de detalhes interiores, dá pra restaurar fácil, fácil !

  3. Amigos, vocês se enganam quando dizem que dá pra restaurar “fácil, fácil”. Este é o tipo de carro que tem que ser imaculadamente restaurado senão não passa de uma birosca velha e cheia de massa. O bonito de um carro assim é exatamente as formas e linhas perfeitas originais. Carros xunados, com massa vemos diariamente. Tem mais, não é qualquer chapeador que mexe num carro desses com gosto, a maioria considera isso um “estorvo” e cobra valores abusivos de seus “milionários” proprietários, pois se o cara pode gastar num carro antigo, ele tem que pagar caro, pois é burguês (mentalidade de zé ruela chinelão).
    Este está muito apto a uma merecida “levantada” e ir passear nos domingos, hehe.
    O cara acorda um dia e pensa: Vou pintar faixas pretas no meu antigo! Então ele pinta o teto de preto, as caixas de ar de preto, faz umas pinturas em cima das lanternas que lembram maquiagem feminina nos olhos e o miolo dos frisos de preto também, pra combinar. Aí ele dá 2 voltinhas e deixa o carro servindo de guarda volumes até o Rafinha o encontrar. Ainda bem.

    • Ah, não, se você quiser um serviço de qualidade, feito a capricho, barato e rápido, tem que fazer tu mesmo! Porque as restauradoras (restauradora mesmo, não chapeação), não trabalham com “orçamento”, elas trabalham no esquema “carta branca”, ou seja, o proprietário entrega o carro e diz “pode fazer tudo que dinheiro não é problema”. Infelizmente carro antigo no Brasil é para poucos endinheirados, na Europa a coisa é completamente diferente.

      • …Belíssimo 59 com lindos pneus BF Goodrich de época! 6 cilindros (notem o escape simples) 2 portas sem coluna, rara configuração. Se quiserem doar tem vaga pra ele na minha garagem.

      • Tens razão, este Impala tem que ser restaurado neste esquema “carta branca” mesmo.
        Sempre digo que não sou contra massa plástica em automóveis, desde que seja aplicado só o indispensável e muito bem lixada e preparada para pintura.
        O problema é que, feita a pintura, a maioria remonta o carro com frisos arranhados, vidros riscados, lanternas desbotadas ou rachadas de sol, peças sujas e enjanbradas. Aí sim “mata” o antigo o tornando uma birosca.
        Quando comprei meu Landau 83 ele era um carro nota 7,5 em 10, sabe o que estragava? Os frisos das caixas de roda estavam amassadinhos, uma lente de pisca trincada, o banco do motorista poído de leve no encosto, dois retoques de tinta toscos e carburador engasgando. O que eu fiz? Dei um “banho de tinta” muito bem feito e troquei ou arrumei os detalhes estragados. Pronto! Ficou ótimo. É isso que quero explicar, não adianta lataria e pintura bonitas e detalhes ruins. Nossa, cansei de escrever, hehehe.

      • César, além da “cagadita” da faixa preta mencionada pelo Marcelo o relato à seguir é de pasmar: o motor que ela estava rodando era um 6 cilindros mesmo, SÓ QUE O 2.600 DO AERO WILLYS! nossa, quando vi aquele bloco ao lado do carro ambos inertes quase chorei… o choro veio na verdade quando o senhor dono dela disse que a comprou (Impala) no ano 1973 de Porto Alegre, com mecanica original V8 e que a retirou nos anos 80 e o colocou fora !!!!!!Portanto, mais o câmbio automático, configuração original quase top de linha com ar condicionado de fábrica já em 59… pint. original no cofre e sem nada de “massa’ , não está à venda.

        Sem mais,

        Abraços|

      • Bom, antes fosse um motor de Opala 6 “bocas”… esse carro fica ótimo com esse motor. Não tem o ronco do V8, mas gasta bem menos e “ferve” com bem menos frequência.
        Dificilmente um exemplar nesse estado estará à venda…
        Marcelo, é nos detalhes que se tem uma raridade! Isso de não fazer o serviço completo, geralmente é quando o “colecionador” compra seu primeiro exemplar; a pressa para querer rodar com o carro impede o capricho.

    • …Tem muita gente, mas muita mesmo, que pensa que restaurar carro antigo é só pegar um Fusca velho caindo aos pedaços, largar na mão de uma chapeação daquelas que só trabalha com seguradora e em três semanas tirar de lá rodando como se fosse um carro novo!

  4. Ai meus Deus…mais um!!! Esse povo do nosso país estão ficando cada vez mais loucos. Nunca, de forma alguma abandonaria uma bela máquina desta. Isso não é um carro, é uma obra de arte sobre rodas!!!

  5. Que belo americano! Um grande e maravilhoso representante das décadas de ouro do automobilismo. Que história triste do abandono do V-8 original. Faziam isso direto na década de 80, por causa do alto consumo dos V-8 e o alto preço da gasolina na época.

  6. Acho esse maravilhoso mas, meu sonho de consumo é um modesto 67, com duas ou com quatro portas, tanto faz, simplesmente alucinante de tão lindo.

  7. Aff vocês estão muito exigentes, eu acho que a parada é o seguinte, faz uma manuteção mecanica boa para poder rodar tranquilo, lava, passa alguns produtos nos cromados, troca a antena quebrada e está bom para rodar, ficar restaurando minunciosamente carro fabricado nos states é inviavel financeiramente, e privar nós meros mortais com recursos reduzidos de usufluir de um modelo desses para preservar a historia dos outros?
    Tem mais é que colocar para rodar na medida do possivel sem essa historia de detalhes que só serve para encarecer o prazer de desfilar numa maquina dessas.
    Se o motor V8 estive-se ruim o que o cara ia fazer se ele tinha falta de recursos, improviso horas, vai vender o carro para um ferro velho por que não tem dinheiro para arrumar?

  8. Olá amigos, sou de SP e amante do modelo impala e tenho duas para restaurar, uma 1962 e outra 1963 e estou fazendo aos poucos, depois vou postar umas fotos pra vcs..ok.
    Se algum de vcs tiverem impalas, dodges, maverics, me enviem por email, pois estou sempre comprando alguns carros para restaurar, meu email é [email protected].
    Um grande abraço a todos e fiquem com Deus. Nilton

  9. Eu conheço o dono desse Impala,ele é meu parente de longe,ele falou que assim que a hora que ele quiser se desfazer do carro é só eu ir la buscar o impala .
    e talves o landau 100% original na garage ao lado..

  10. Eu conheci este impala a anos atrás em francisco Beltrão, meu vô morara perto da casa do proprietario conheci ele, acredito que não deve ser mais do mesmo dono pois faz mais de 10 anos mas se esta foto for recente ele esta igual, na epoca estava com motor de f75 pode? mas é um lindo carro, na epoca (em 98) comprei um 61 bem perto de onde estava esse aí.

  11. Rafinha, vc sabe em qual cidade do sudoeste, minha familia é de lá e vou sempre de férias, quem sabe eu dou um pulo pra conferir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *