Dodge Charger R/T

  dodge-mauricio2 Dodge Charger R/T

MÁRIO BUZIAN: “Russel, fotos do Maurício Silveira. A imagem foi feita no galpão de um senhor, amigo nosso, daonde saíram os Charger 72 e 73, e esse carro é ano 1976, completo… mais caixa automática, quilometragem baixíssima, e está parado no mesmo lugar hibernando desde 1988. Não vende, não troca, nem cogita mostrá-lo a mais pessoas, só te digo que o carro vai ficar por mais alguns bons anos no mesmo lugar… Só tiramos a capa para poder mexê-lo um pouco e manobrar o Dart 70 verde que estava a seu lado antes.”
dodge-mauricio1 Dodge Charger R/T














45 thoughts on “Dodge Charger R/T

  1. Isso não é proteção, é egoismo. Deixar uma raridade dessa guardada só para si é um pecado mortal! Sou totalmente a favor de desfilar com uma maquina dessa e deixar todos de boca aberta!

  2. O dart verde eu conheço …. carro que parece ter saido da concessionaria a pouco. Se o Charger for metade (deve ser o dobro) é igual a novo mesmo.

  3. Pessoal, eu sou suspeito de falar…Mas esse Charger é ZERO como o Dart 70, assim como todos os outros carros da coleção dos Michel…
    Everton, na verdade os familiares não tinham a intenção de usar esses Dodges pelo simples fato de preferirem preservá-los em seu estado mais puro e original…Imagine você com cinco Dodges V8 na garagem, pra quê “surrar” todos eles aos poucos se vc. pode escolher um ou no máximo dois pra rodar e fazer bonito ??
    Pode parecer pedantismo ou mesmo exuberância, mas eu entendo a posição da família em relação a esses carros…O que seria deles se não tivessem sido comprados e devidamente guardados até hoje ???
    Seriam apenas mais sucata, muito provavelmente…Todos eles, mesmo os mais usados pela família, são impecáveis e zerados, cuidados a pão-de-ló por pessoas que os acolheram quando não valiam absolutamente NADA e eram tido como carros de gente idiota, esbanjadora, maluca e inconsequente…É por conta disso que há tempos são carros cultuados e tem um valor altíssimo, justamente por terem sido tão massacrados em seus primeiros anos de vida…
    E em breve ele deve lentamente voltar à vida, e vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudar nesse novo resgate !!!
    Valeu pessoal !!!

    • Sim MArio, eles estão certos, afinal eles têm mais de um (já têm uns para curtir) e, eu sempre digo, algumas unidades merecem ficar guardadas, e rodarem só em eventos antigomobilistas devido a sua originalidade e imaculação, q é o caso desse Charger da foto ou daquele do antigo museu da ULBRA (Charger Vermelho)…. simplesmente impressionante.

    • Bom dia. Se por acaso a familia resolver vender algum desses automóveis gostaria de receber informações para uma possível negociação. Obrigado pela atenção. Junior (SP).

  4. Hehehehehe vai ti fud… Mauricio, fiquei de mandar minhas fotos desses carros pro Russel inicio do ano e tu disse que era de “familia” , que o seu Danilo nao iria gostar e tal …mas tá bem… hehehehehehehe te pego na curva !

    Abraços!

  5. Mario Buzian, admiro muito seu blog e seu Dart. Porem discordo de você. Creio que o carro (não só os Dodges) são verdadeiras obras de arte. Como o homem pode juntar pedaços de metal ( e agora mais plastico que metal) e criar uma maquina incrivel com uma quase vida propria! Carros devem sim ser cuidados, lavados, polidos, enfim preservados… mas dever cumprir sua função básica que é se locomover, andar, correr, fazer curvas em alta, etc…

    Prender um carro num galpão para preserva-lo, é o mesmo que prender na baia um Puro Sangue Inglês para que este não se desgaste com as corridas.

    Creio que voce tambem não gostaria de ficar vendo seu Dart numa vitrinde museu ao inves de estar curtindo umonda a bordo do possante.

    Abraços e desculpe a resposta,

    Everton Lima.

    • Everton, sua resposta não me ofende em absoluto, é o seu ponto de vista e eu também concordo com ele em alguns pontos, e você tem razão ! Mas existem outros fatores que podem fazer com que a cena acima aconteça e também se repita, veja bem…
      Imagine você no lugar do dono desses Dodges.
      Seu Danilo hoje tem 87 anos de idade. Quando ele comprou esse carro, há mais ou menos 30 anos atrás, ainda estava na ativa com seus quase sessenta anos, tocando sua oficina e usando seu conhecimento. Naquela época esses carros não eram bem vistos pois além do consumo considerado excessivo eles eram muito potentes comparando com a média da frota daquela época. O pensamento desse senhor provavelmente deve ter sido o seguinte: “sou uma pessoa que já está quase se aposentando, tenho todos esses belos carros mas eles me dariam muita despesa se os colocasse pra rodar, TODOS eles. Vou guardá-los aqui comigo pois assim eles não se estragarão, e se um dia tiver vontade de usar algum eu mesmo o ativo e uso.”
      E o que ele fez ?
      Pegou um Polara 76, mais econômico, menor e mais fácil de estacionar, e o colocou no uso, e seu filho Enio fez o mesmo, usando um D-1800 ano 73 deles desde novo…E para não “aposentar” todos eles de vez, decidiu deixar o Dart cupê 71 ativo e devidamente licenciado para quando desse vontade de rodar…
      Poderíamos traçar um paralelo com um carro mais “atual”, um Lada, por exemplo(a comparação é só em termos do produto “carro”e não sob a ótica tcnológica ou emotiva)…Os Dodges nos anos 80 e começo dos 90 eram exatamente como os Lada hoje…Não valem nada, tem um monte deles em desmanches e abandonados, e eram motivo de chacota por parte dos consumidores de carros novos (hoje bem mais do que há vinte anos atrás, pois agora é mais acessível ter carro zero).
      Olhando sob esse prisma eu não tiro a razão do Seu Danilo. No meu caso, eu nunca guardaria o nosso Dart 79 parado na garagem só para um dia pensar em usar( e olha que ele teve essa experiência-ficou doze longos anos encostado)…
      Também acredito que a função básica de qualquer carro é a locomoção e mobilidade, a liberdade de nos levar e trazer para onde e quando quisermos.
      E vou além, acho que se eu não tenho como manter um carro novo ou antigo ativo eu não deva possuí-lo, pois o que eu acabo fazendo é guardar para alguém um dia usar, mesmo que eu não esteja aqui…Prefiro vender e usar o dinheiro para outra coisa, enfim…Mas é a minha opinião: no caso do Seu Danilo, eu admiro a sua atitude de manter essas jóias todas sob o mesmo teto por décadas, além de tantas peças originais e material relativo a tudo isso, conservando uma história que possivelmente estaria totalmente perdida nos dias atuais…
      Outro ponto interessante: imagine a situação do nosso amigo Alexandre Badolato, apaixonado pela marca que tem um verdadeiro museu e mais de 60 (!!!) Dodges em condição de uso…E eles não ficam guardados perto daonde ele mora, ficam a uns 150 km. e 4 pedágios da sua casa ??
      Como entender isso ??
      E acredite, ele anda de carro novo toda a semana mas não abre mão de “sequestrar” algum clássico pra passear sempre…
      É preciso que existam pessoas como o Alexandre e Seu Danilo para que nós possamos a cada dia dar mais valor aos nossos amados carros e mantê-los vivos e em estado original para que esse ciclo nunca se feche…
      Como eu digo, a coisa é bem complexa, e é preciso ver e entender todos os lados da moeda…
      Grande abraço, mestre !!!

  6. Everton, para ilustrar exatamente o teu ponto de vista vou transcrever o que eu li anteontem numa revista americana especializada em carros antigos:

    “We all only get a one shot at life, so do what you enjoy doing most-Drive your old car !!!! Don’t worry about getting stone chips in the paint or scratches in the fender. After all, why preserve the car for its next owner ?? Take pleasure in your collector car while YOU own it.
    There’s no better way to enjoy that cherished automobile than in the environment for which it was designed and engineered: motoring on down the road to life. ” – Ritchie Lentinello – Hemmings Classic Car Magazine

    Numa tradução livre, seria mais ou menos isso:

    “Todos nós só temos uma única chance de vida, para fazer o que você mais gosta de fazer – Dirija o seu carro antigo!! Não se preocupe em ter lascas de pedras na pintura ou arranhões no pára-choque. Afinal, por que preservar a carro para seu próximo dono? Tenha prazer em usar seu carro, enquanto você é seu próprio dono !
    Não há melhor maneira de apreciar esse carro tão bem cuidado e desejado do que no ambiente para o qual foi projetado e construído: guiando seu automóvel pelas estradas da vida. “

    • Belas palavras Mário. É uma situação singular onde ambos os pontos de vista, mesmo que antagônicos, têm plena razão.
      Realmente admirável a atitude do Seu Danilo, assim como o próprio.

  7. Sem palavras para as máquinas…
    Minha opnião é a seguinte…
    De nada adianta guardar se não quer mostrar, se quer cuidar e tal que monte um museu ou então põe para rodar…
    Se não puder rodar deixa que eu rodo com eles rsrsrs… ponho até a gasol….

  8. Pontos de vista muito bem explicados e entendidos. Uns passam pela terra e aproveitam seus carros(no caso antigos), outros os imaculam e apreciam devidamente longe dos “perigos” lá de fora, esses são os exemplares que ficarão para futuras gerações. Oxalá.
    Soube no Uruguai de existir um modelo T ainda na caixa de madeira”Ford Export”, o dono teria morrido antes do veículo chegar e está com a família até hoje no jirau de um galpão.

  9. É isso mesmo, pessoal !!!
    Nesse ramo existem os dois lados, e algumas atitudes muito extremas, como gente que tem uma senhora raridade nas mãos e depois acaba abandonando em um lugar qualquer e deixando se acabar enquanto muitos de nós daríamos qualquer coisa para reaver esses carros…
    No próprio pátio do Seu Danilo aconteceu isso, como já mostramos aqui no blog !!! Ele mesmo nos conta que NUNCA imaginou que aquelas duas carcaças de Dodge Charger que chegaram em suas mãos fossem um dia voltar a rodar, zeradas e perfeitamente originais !!!
    Ele mesmo as pegou quando os carros pouco valiam e como estavam completos os mesmos serviram de doadores a seus carros e a de clientes…Daí décadas depois veio um sujeito considerado MALUCO e arrematou as duas carrocerias, agora estão em processo de “re”composição…O R/T 1972 prata fênix deve estrear no próximo Mopar Nationals, enquanto seu irmão mais novo, o vermelho 1973 deve demorar um pouquinho mais…
    Enfim, mais um exemplo em que às vezes nem tudo está perdido !!!

    • quer vender algum dodge? Lembraria muito o meu pai que faleceu a pouco Tbm faço parte do clube dos autos antigos de Jacareí-SP.Uma coisa é certa sairia de uma familia para ficar em outra
      Obrigado

      • Dino, esses carros não estão à venda, mas é sempre possível encontrar algum exemplar em bom estado nos classificados do MercadoLivre ou WebMotors, tente por lá e compre aquele que couber na tua possibilidade e vontade, certo ?
        Abração e boa sorte !!!

  10. Respeito a opinião de todos, mas na verdade cada um faz o que quiser….

    Acho legal o Sr. Danilo (meu xará) ter guardado os carros em perfeito estado, mesmo ficando parado e ele não ter aproveitado!
    E msm assim aproveitado entre aspas, pois ele roda c/ um regularmente, e ainda tem o dodginho….

  11. A diferença entre uns e outros, fofos, é que uns são donos, outros não. Quem é dono faz o que quer com sua posse, vide o que minha mulher faz comigo (ai, coração, desculpe!).

  12. Bem q ele podia me dar ele de presente 😛 ! se eu tivese um desse nesse estado ia ter pena de andar nele, ia por um pedestal perto da minha cama pra polir ele toda manha ! ehaehuaehuaheuhaea

  13. Ahh se é meu parente ou amigo, ia lá e tirava este carro daí na marra e tocava o terro com ele nas ruas. O cara vai deixar o carro acabar por orgulho, é um FDP…

  14. Galera sou novo no ramo de carros antigos, e nao e tenho apenas 21 anos entao nem posso sonhar como foi a epoca desses monstros.
    Acho que esses caros deveriam ser espostos pois sao uma raridades e lindo e parabens ao dono desses veiculos, se quizer vender algun so falar rs

  15. Se eu pudesse colecionaria carros, mas certamente andaria com eles no todos os dias, pois costumo dizer que bom pra enfeitar varanda é samambaia, e a vida é curta e dessa vida não levamos nada, por isso devemos desfrutar das coisa boas, e algumas delas são os dodges.

  16. Sou apaixonado por carros antigos, tenho um fusca 1969 mais com um toque de modernidade, deixei de receber a placa preta pela mudança mais não importa é para o meu uso, parabenizo aqueles que tem um dodge dart e charger ou qualquer outro, o importante é ter, gostaria de que me envia-se informações e fotografias para que um dia eu possa ter um dorjão! Um abraço a todos e parabéns para aquele que tem e um super abraço para aquele que tem e desfila com a maquina.

  17. Eu amo o Dodge Charge RT, só que minhas condições financeiras faz com que eu apenas possa aprecisar e naum possa ter um em minhas mãos, por enquanto nos fins de semana eu e meu pai passeamos no seu jeep 51 ou no meu Jeep Willys Overland (popular bernardão) 4 portas e 6 cilindros, o seu ronco é lindo, ahhh temos um caminhão Mercedes 1956, amo nossos veiculos antigos mas quando vejo um Dodge Charger meu coração bate mais forte.

  18. Ah,se o cara cuida,não precisa ficar exibindo!O que importa é que conserva!Já tive um Charger R/T igual a este,branco muito inteiro,que troquei em um Opala 1981 único dono,mas tive de desfazer negócio,pois deu problemas na hora de transferir a documentação 🙁

  19. poxa da até pena de ver esse Dodge ai parado!meu avô em 1978 comprou um Dodge R/t que logo depois passou pro meu pai,meu pai usou até 2009 e daí ele passou pra mim,ainda em perfeito estado com acabamento de primeira eu tou usando ele atualmente pra ir pro trabalho,e de vez enquanto faço alguns reparos como troca de óleo e etc.não vendo também por nada apenas,vou seguir a tradição da família de passar o carro pra filho,pra min este carro sem duvida foi o melhor dessa época junto com o maverick.Saudades!!

  20. ola colega estou pedindo se voçe tem o dorge charge rt e se voçe quer vender aguardo sua resposta ou me ligue meu telefone 48 32852642 ou cel 48 99324479 biguaçu sc obrigado

  21. Quem tirou essas fotos sabe como estão os carros atualmente? onde foram tiradas? abraços tenho interesse nos carros… se algum dia forem vender…
    abraços…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *