17 thoughts on “GM Opala

    • A amiga da minha mãe tinha um Del Rey Ouro 2 portas azul médio metálico a álcool, ela sempre se estressava pra ligar o bicho, que teimava em não funcionar. Dae um dia ela foi na casa da mãe dela e na hora de sair o carro nada de ligar, então ela foi embora e o deixou na rua por mais de meio ano, hehehe.
      Naquela época eu era criança e não tinha habito de fotografar carros abandonados, senão tinha foto de época de abandonado a álcool, hehehe
      Depois disso ela o vendeu e nunca mais teve carro.

  1. Minha mãe tinha um Escort a álcool, o bicho demorava mais de 5 minutos no afogador só pra conseguir sair do lugar sem morrer,

    Meu avô era completamente contra o Pró-Álcool, como o Sr. Gurgel, dizia que um dia o incentivo do governo acabaria, o que ele iria fazer com um carro que não tinha combustível? Tanto que até o último carro dele, o nosso Voyage, é o único 87 a gasolina que eu já vi, e olha que já vi bastante…

    • Meu pai encomendou um Voyage zero em 85: à gasolina, verde Itapuã modelo “S”, isso em pleno Proalcool, esperou quase 2 meses mas chegou!
      Ainda sim os Fords eram muitíssimo mais raros na gasosa…

  2. Tive uma pampa a álcool e um gol a vento e dois carburadores.
    A pampa tinha que deixar ligada enquanto se tomava o café, mas pegava fácil… O gol desregulava toda semana, mas o cheiro de álcool era gostoso.
    Nunca mais tive e nem quero saber de carro carburado a álcool.

  3. Não é bem assim,Marcelo. Tive um Gol caixa 88 a alcool que pegava de 2º ou 3º. O segredo é botar um pouco de querosene ou gasolina de aviação no tanquinho de partida a frio. Como meu tio era socio do Aeroclube, ficava facil… mas essa cena é bonita. Vcs ai do Sul, cenas assim sao frequentes no frio?

  4. O problema do carro à alcool é o dono: se não faz a manutenção toma castigo!
    O que custa revisar o sistema de ignição e da partida à frio antes do inverno? E pra economizar “50 pila ” se passa um trabalhão danado… fios á mais e enjambrados, fusiveis queimados afogador desligado, depois falam mal do carro à alcool, assim é fácil!

    • Opa Rafinha, achei que só eu pensava assim! Ja contei uma histórinha aqui de um chevette alccol 84 que meu pai recebeu numa troca uma vez. O carro não pegava de jeito nenhum e o dono nas palavras dele se livrou daquela bomba e pegou um santana gl 90. Mandamos a tal bomba pra oficina e trocamos, cabos de vela, vela, consertamos o injetados da gasolina e colocamos o cabo do afogador no lugar. Pronto, o carro era perfeito, era só injetar e puxar o afogador que o bicho funcionava que um relóginho. Nesses moldes, nem os gasolina prestam.

  5. Tenho um del rey batido largado no quintal (inútil particular) e quando ele andava, bastava injetar a gasolina que ele pegava, não importava o frio que fosse…..
    Um época queimou o injetor….fazia o barulho mas a gasolina não chegava lá….trocamos mangueira e nada….ai fizemos um injetor manual no tubo de desodorante…..antes de ligar de manhã, abria a tampa do filtro de ar, dava um esguichada de gasolina lá dentro e pronto, ele pegava na primeira…rsrsrsrs….depois descobrimos o problema e nunca mais…..
    De qualquer forma, precisa esquentar um pouco o motor p/ poder sair c/ ele….uns 5 minutos +/-
    Já um Elba 86 1.3 alcool que tive, tinha q esquentar uns 20 minutos…..e ainda saia dando falhas….

    Um oggi 84 alcool 1.3 idem….tanto que passamos ele na gasolina…

    A caravan 81/82 4cc alcool, bastava esquentar uns 2 minutos e já saia forte….

    Minhas experiências c/ carros alcool são só esses…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *